Nacionalismo: uma perspectiva econômica para o século XXI

Autores

  • Jose Eraldo Rovaris UNINTER
  • Maria Silvana Frezarin

Resumo

O nacionalismo é uma ideologia cujo viés pode ser positivo ou negativo, conforme os interesses dos diversos grupos sociais. Em vista disso, o presente artigo teve como objetivo examinar se o nacionalismo pode ser utilizado como política econômica, no século XXI. Quanto à metodologia, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, de caráter qualitativo. Ademais, o trabalho pretendeu: (a); analisar o conceito de nacionalismo (b) compreender como a obtenção do poder sobre o Estado-nação acontece; (c) desmistificar as perspectivas equivocadas a respeito do nacionalismo, propondo uma ação nacional positiva em relação aos recursos exploráveis, com vistas a beneficiar setores como educação, saúde e transportes. Conclui-se que o nacionalismo, como um movimento, pode ser utilizado pela economia para mediar as negociações entre os agentes econômicos.

Palavras-chave: nacionalismo; economia; poder; população; teorias.

Abstract

Nationalism is an ideology whose bias can be positive or negative, depending on the interests of different social groups. Given this, this article aimed to examine whether nationalism could be used as an economic policy in the 21st century. As for the methodology, it is bibliographical research, with a qualitative character. Furthermore, the work intended: (a); to analyze the concept of nationalism (b) to understand how the acquisition of power over the nation-state occurs; (c) to demystify the mistaken perspectives regarding nationalism, proposing a positive national action concerning exploitable resources, to benefit the education, health and transport sectors. It is concluded that nationalism, as a movement, can be used by the economy to mediate negotiations between economic agents.

Keywords: nationalism; economy; power; population; theories.

Resumen

El nacionalismo es una ideología que puede ser vista como positiva o negativa, de acuerdo con los intereses de cada grupo social. En virtud de ello, este artículo tuvo como objetivo examinar si el nacionalismo puede ser utilizado como política económica, en el siglo XXI. Desde el punto de vista metodológico, se trata de una investigación bibliográfica, de carácter cualitativo. Además, el trabajo pretendió: (a) analizar el concepto de nacionalismo; (b) comprender cómo se produce la obtención de poder sobre el Estado-nación; (c) desmitificar las perspectivas equivocadas sobre el nacionalismo, con la propuesta de una acción nacional positiva respecto a los recursos factibles de ser explotados, con el propósito de beneficiar sectores como educación, salud y trasporte. Se concluye que el nacionalismo, como movimiento, puede ser usado por la economía para mediar negociaciones entre agentes económicos.

Palabras-clave: nacionalismo; economía; poder; población; teorías.

Biografia do Autor

Jose Eraldo Rovaris, UNINTER

Graduando em História.

Maria Silvana Frezarin

Professora no Centro Universitário Internacional Uninter.

Referências

BOBBIO, Norberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de política. 11. ed. Tradução Carmen C. Varriale et al. Brasília: UnB, 1998.

HOBSBAWM, Eric. Nação e nacionalismo desde 1780: programa, mito e realidade. 7. ed. Tradução de Maria Celia Paoli e Anna Maria Quirino. São Paulo: Paz e Terra, 2016.

SANDRONI, Paulo. Novíssimo dicionário de economia. Rio de Janeiro: Best Seller, 1999. Disponível em: http://www2.fct.unesp.br/docentes/geo/magaldi/GEO_ECONOMICA_2019/dicionario-de-economia-sandroni.pdf. Acesso em: 05 maio 2020.

IBGE. Sistema IBGE de recuperação automática. Indicadores de Desenvolvimento Sustentável – Edição 2017. IBGE, [S.l.], 2017. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/ids/tabelas. Acesso em: 07 maio 2020.

Downloads

Publicado

2021-12-16

Como Citar

ROVARIS, J. E.; FREZARIN, M. S. . Nacionalismo: uma perspectiva econômica para o século XXI. Humanidades em Perspectivas, [S. l.], v. 3, n. 7, p. 82–98, 2021. Disponível em: https://revistasuninter.com/revista-humanidades/index.php/revista-humanidades/article/view/175. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos