Desumanização nas práticas de saúde: uma análise crítica da política nacional de humanização a partir da experiência de uma residente em serviço social

Autores

  • Marília Sarmento Bezerra Universidade Federal de Alagoas
  • Andrea Pacheco de Mesquita Universidade Federal de Alagoas

Resumo

O presente artigo propõe-se a refletir sobre a Política Nacional de Humanização a partir de experiência profissional desenvolvida por seus autores no âmbito de um programa de residência multiprofissional na área da saúde do adulto e da pessoa idosa. Objetiva-se compreender se uma política seria capaz de modificar as práticas de saúde, tendo como referecial teórico a teoria social crítica de Marx, que baliza a prática do assistente social. O estudo se justifica pela necessidade de construção de práticas de saúde emancipatórias e comprometidas com os usuários do sistema de saúde, preconizadas no projeto ético-politco do Serviço Social e conclui-se que a PNH precisa refletir sobre as práticas de saúde no âmbito da análise crítica da sociedade, para não responsabilizar seus atores individualmente pelas situações em que se encontram. Para a sua realização, utilizamos as pesquisas bibliográfica e documental.

Palavras-chave: Política Nacional de Humanização; Desumanização; Teoria Social em Marx; Práticas de Saúde;

Abstract

This article proposes to reflect on the National Humanization Policy based on the professional experience developed by its authors within the scope of a multiprofessional residency program in the area of ​​adult and elderly health. The objective is to understand whether a policy would be capable of modifying health practices, having Marx's critical social theory as a theoretical framework, which guides the practice of social workers. The study is justified by the need to build emancipatory and committed health practices with users of the health system, advocated in the ethical-political project of Social Work, and it is concluded that the PNH needs to reflect on health practices within the scope of the analysis criticism of society, so as not to make its actors individually responsible for the situations in which they find themselves. For its realization, we used bibliographical and documental research.

Keywords: National Policy of Humanization (PNH); Dehumanization; Marx Social Theory; Health Practices.

Resumen

Este artículo se propone reflexionar sobre la Política Nacional de Humanización a partir de la experiencia profesional desarrollada por sus autores en el ámbito de un programa de residencia multiprofesional en el área de la salud del adulto y del anciano. El objetivo es comprender si una política sería capaz de modificar las prácticas de salud, teniendo como marco teórico la teoría social crítica de Marx, que orienta la práctica de los trabajadores sociales. El estudio se justifica por la necesidad de construir prácticas de salud emancipatorias y comprometidas con los usuarios del sistema de salud, preconizadas en el proyecto ético-político del Trabajo Social, y se concluye que la HPN necesita reflexionar sobre las prácticas de salud en el ámbito del análisis crítico de la sociedad, para no responsabilizar individualmente a sus actores de las situaciones en que se encuentran. Para su realización, utilizamos investigación bibliográfica y documental.

Palabras clave: Política Nacional de Humanización; Deshumanización; La teoría social en Marx; Practicas de salud.

Biografia do Autor

Marília Sarmento Bezerra, Universidade Federal de Alagoas

Bacharel em Serviço Social pela Universidade Federal de Alagoas.  Especialista em saúde na área do adulto e do idoso pelo Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA/UFAL). Mestranda em Serviço Social pelo programa de Pós-Graduação em Serviço Social (PPGSS/UFAL). E-mail: mariliasarmentobzr@gmail.com

Andrea Pacheco de Mesquita, Universidade Federal de Alagoas

Assistente social, mestra em educação brasileira pela Universidade Federal do Ceará, Doutora em estudos interdisciplinares em Mulher, Gênero e feminismo pela universidade Federal da Bahia. Tutora da Residência multiprofissional em saúde do Adulto e do Idoso pelo HUPAA/UFAL. Líder do grupo Frida Kahlo/UFAL/CNPQ.E-mail: andreapacheco@fsso.ufal.br

Referências

BOSCHETTI, Ivanete; SALVADOR, Evilásio. O Financiamento da Seguridade Social no Brasil no Período 1999 a 2004: Quem Paga a Conta? In: MOTA, Ana Elizabete. et al. (org.). Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional. 4. ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: OPAS, OMS, Ministério da Saúde, 2009. p. 38-60.

BRASIL. Ministério da Saúde. Humaniza SUS: documento base para gestores e trabalhadores do SUS. 3. Ed. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Humanização: PNH (folheto). Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2013. .

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Humanização: uma síntese das diretrizes e dispositivos da PNH em perguntas e respostas. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2010.

BRAVO, Maria Inês Souza. Política de Saúde no Brasil. In: MOTA, Ana Elizabete. et al. (org.). Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional. 4. ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: OPAS, OMS, Ministério da Saúde, 2009.

BRAVO, Maria Inês Souza. CORREIA, Maria Valéria Costa Correia. Desafios do controle social na atualidade. Serviço Social e Sociedade. n. 109, p.126-150, jan./mar. 2012.

BUSS, Paulo Marchiori; FILHO, Alberto Pellegrini. A saúde e seus determinantes sociais. PHYSIS. Rev Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, n.17(1), p. 77-93.

CASTRO, Marina Monteiro de Castro e. Humanização em saúde: intencionalidade política e fundamentação teórica. 2015. Tese (Doutorado em Serviço Social) – Programa de Pós-graduação em Serviço Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.

CFESS. Conselho Federal de Serviço Social. Parâmetros para atuação de assistentes sociais na politica de saúde. Brasília, 2010.

CONCEIÇÃO, Tainá Souza. A Política Nacional de Humanização e suas implicações para a mudança do modelo de atenção e gestão na saúde: notas preliminares. SER Social, Brasília, v. 11, n. 25, p. 194-220, jul./dez. 2009.

CORREIA, Maria Valéria Costa. O Controle Social na Saúde. In: MOTA, Ana Elizabete. et al. (org.). Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional. 4. ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: OPAS, OMS, Ministério da Saúde, 2009. p. 49-72.

DINIZ, Carmen Simone Grilo. Humanização da assistência ao parto no Brasil: os muitos sentidos de um movimento. Ciência e Saúde Coletiva, v. 10, n. 3, p. 627-637, 2005.

FURTADO, Talita Teresa Gomes. “Humanizasus”: uma avaliação política da política. 2011. Dissertação (Mestrado em Políticas Públicas) – Programa de Pós-graduação em Políticas Públicas, Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2011. Disponível em: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/843.

GOMES, Rogério Miranda; SCHRAIBER, Lilia Blima. A dialética humanização-alienação como recurso à compreensão crítica da desumanização das práticas de saúde: alguns elementos conceituais. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v. 15, n. 37, p. 339-350, 2011. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1414-32832011000200002. Acesso em: 19 out. 2022.

LESSA, Sérgio; TONET, Ivo. Introdução à filosofia de Marx. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

MARX, Karl. A mercadoria. In: MARX, Karl. O Capital: crítica à economia política. São Paulo: Boitempo, 2013. v. 1, p. 113-146.

MARX, Karl. Manuscritos Econômicos e Filosóficos. Tradução de Jesus Ranieri. São Paulo: Boitempo, 2010.

MARX, Karl. Para a crítica da economia política. Tradução de José Arthur Giannotti e Edgar Malagodi. São Paulo: Nova Cultural, 1987.

MÉSZAROS, István. A teoria da alienação em Marx. Tradução de Nélio Schneider. São Paulo: Boitempo, 2016.

NETTO, José Paulo. Para uma história nova do Serviço Social no Brasil. In: SILVA, Maria Liduína de Oliveira e (org.). História de resistências e ruptura com o conservadorismo. São Paulo: Cortez, 2017.

NETTO, José Paulo; BRAZ, Marcelo. Economia Política: uma introdução crítica. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

NEULLS, Talita Fernandes. Humanização em saúde frente ao processo de desumanização do trabalho: análise acerca da Política Nacional de Humanização da Saúde no âmbito do SUS. 2016. Dissertação (Mestrado em Políticas Públicas) – Programa de Pós-graduação em Políticas Públicas, Universidade do Maranhão, São Luís, 2016. Disponível em: https://tedebc.ufma.br/jspui/handle/tede/tede/813.

PUCCINI, Paulo de Tarso ; CECÍLIO, Luiz Carlos de Oliveira. A humanização dos serviços e o direito à saúde. Cadernos de Saúde Pública, v. 20, n. 5, p. 1342-1353, 2004.

Downloads

Publicado

2023-08-30

Como Citar

SARMENTO BEZERRA, M.; PACHECO DE MESQUITA, A. Desumanização nas práticas de saúde: uma análise crítica da política nacional de humanização a partir da experiência de uma residente em serviço social. Humanidades em Perspectivas, [S. l.], v. 5, n. 10, p. 56–72, 2023. Disponível em: https://revistasuninter.com/revista-humanidades/index.php/revista-humanidades/article/view/212. Acesso em: 18 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos